2 de maio de 2014

DICA DE LIVRO

10 livros para os momentos mais tristes

Arnaldo Antunes, em sua música “Alegria”, diz que a tristeza é uma forma de egoísmo. Isso eu não sei, mas que ela merece respeito, merece. Aí, você vê o que faz com essa emoção: se abre a porta e convida para um café com bolinho; ou se espia pelo olho mágico e sussurra “Hoje, só amanhã”. Quem disse que remédio para tristeza é só o tempo se enganou, têm as palavras também que fazem a gente rir quando nem achava que seria possível ou que confortam envolvendo como uma tolha macia depois do banho no inverno.


1. Inferno


  Autor: Dan Brown
Editora: Arqueiro

Dan Brown deveria chamar "Dan Brownie" de tão gostoso que é ler os seus livros. Sim, eles fazem perder o fôlego, hipnotizam, viciam e quando a gente vê, já são 5 da manhã e ainda estamos dizendo: só mais um pouquinho, só mais um pouquinho. Se você está triste, agarre-se em Robert Langdon e escorregue pelas ruazinhas e mistérios de Firenze e Istambul, dando uma folga para a sua tristeza durante 445 páginas.

2. Orações de um Jovem, uma Moça, uma Criança


Autor: vários
   Editora: Paulus

O polêmico fotógrafo italiano, Oliviero Toscani, reuniu os melhores pequeninos-textos-pra-alma do mundo. São orações das ‘gentes’ dos quatro cantos, suspiradas por crianças, jovens e mulheres. "Bom Deus, ensina-nos que viver é melhor que sobreviver e que um instante não é toda a vida, mas que a vida é um instante. Nós, às vezes temos medo, às vezes acreditamos que somos imortais, porém, na realidade, já somos anjos".

3. Um Rio Chamado Tempo, uma Casa Chamada Terra

Autor: Mia Couto
                   Editora: Companhia das Letras

Não, não existe alguém nesse mundo que entenda mais de tristeza que Mia Couto, o escritor moçambicano. Nesse livro, ele narra sua ida à ilha de ‘Luar-do-Chão’ para o enterro de seu avô Dito Mariano. Cada página de Mia é tão maravilhosamente lapidada que lembra uma estátua de Michelangelo. Sim, a gente poderia - desculpe o gerúndio - ficar lendo uma só dessas frases pelo resto da vida. "Sabe-se: a dor pede pudor. Na nossa terra, o sofrimento é uma nudez - não se mostra aos públicos".

4. Sob o Sol de Toscana


Autor: Frances Mayes

  Editora: L&PM Editores

A tristeza faz a gente se sentir desmontada. Por isso, esse livro é a coisa certa, na hora certa. Frances Mayes, narradora de viagem das boas e amante da gastronomia, conta como reformou, pouco a pouco, uma casa de campo abandonada no interior da Toscana. Ela também refaz passeios de ilustres turistas como D.H. Lawrence e Henry James. O livro inspirou o filme homônimo, que fez um sucesso danado nas telas de cinema, com Diane Lane e ator meu-Deus-que-Deus, Raoul Bova.

5. Por uma Linha Telefônica

 
 Autor: Andrea Camilleri
Editora: Bertrand Brasil

Ô sujeito debochado o escritor italiano, Andrea Camilleri. E isso você perceberá já na primeira página do seu livro. Tudo se passa em uma sociedade provinciana, no fim do século 17, com sua administração burocrática-estatal. O fio condutor do livro é o pedido de concessão de uma linha telefônica para uso privado e uma dívida de jogo contraída com alguém ligado à máfia. O autor, também diretor de teatro e televisão, se esbalda com seus personagens bons candidatos aos filmes de Fellini. Divirta-se!

6. 10 Anos no Mar

                                                            Autor: Familia Schurmann
                                                            Editora: Record

Às vezes, quando estamos com as amarras na tristeza, é preciso desbravar novos mares, sair um pouco do nosso mundinho. Nesse caso, literalmente. Acompanhe as viagens da corajosa e simpatissísima Família Schurmann, num veleiro, ao redor do mundo. São 150 mil quilômetros de aventuras, curiosidades, descobertas e situações de arrepiar os cabelos, como: ciclones no Caribe, furacões na Polinésia e chuva de balas de metralhadora, entre outras.

7. Diva Depressão

                                     Autor: Filipe Oliveira e Eduardo Camargo
                                                                    Editora: Matrix

Quem nunca viu um post malicioso da Diva Depressão no Facebook, página, aliás, com 1 milhão de fãs. Sim, essa personagem fictícia conquistou uma pá de seguidores, afinal, quem não se identifica com um pouco de maldade, de frases como: "Pedras no caminho? Só as de gelo no meu whisky" e "Difícil é lidar com homens que têm o ego maior que o pênis". Agora, suas sacadas geniais viraram livro anti-tristeza e anti-recalque.

8. Perdas e Ganhos

Autor: Lya Luft
Editora: Record

Lya Luft sofreu que foi o diabo, mas deve ter sido a autora da frase "levanta, sacode a poeira e dá a volta por cima". Neste livro, ela faz um bálsamo bem doce com ensaios, memórias e uma sensibilidade que encanta a cada página. Não, não é só o riso que é o melhor remédio, palavras de quem sabe que - navegar não é preciso. Viver é preciso - também.

9. A Mulher nos Jardins de Buda

                                                                   Autor: Neusa C. Steiner
                                                                   Editora: Mescla

Cada página deste livro carrega a nossa alma no colo. Ele conta a história da guerreira-da-paz Monja Coen, fundadora da comunidade Zen Budista do Brasil, uma mulher forte, decidida a seguir seu caminho e a não tropeçar nas pedras no caminho, aliás, fazendo delas companheiras de jornada. O livro fala de inconformismo, de sonhos, e de uma vida e de um acreditar construído tijolo por tijolo.

10. 1001 Piadas para Ler Antes de Morrer... De Rir

                                                                 Autor: Paulo Tadeu
                                                                 Editora: Matrix

Sim, a vida no fundo é uma piada, então para que se apegar à tristeza. O negócio é vivê-la um pouco e dar um "muito obrigada! Não nos procure, nós a procuraremos". Depois é só voltar para a alegria nossa de cada dia. A seleção de piadas de Paulo Tadeu dá uma mãozinha, aliás 1001 mãozinhas. Não dá pra não rir.

FONTE: EDUCAR PARA CRESCER

Nenhum comentário:

Postar um comentário