13 de março de 2013

DICAS PARA OS TESTES DE HISTÓRIA


Mário Francisco de Melo Júnior
Professor de História

1º ano

Sobre a questão da pré-história é necessário lembrar que é a periodização da história humana desde o surgimento dos primeiros hominídeos até a invenção da escrita.
Uma das maiores polêmicas relativas a pré-história está sobre o surgimento do ser-humano. As várias concepções religiosas advogam que as narrativas de seus livros sagrados seriam explicações exatas para o surgimento do ser-humano. A ciência utiliza-se do evolucionismo para explicar como foi o surgimento do ser-humano. Ou seja, os seres humanos nasceram através de um longo processo evolutivo.
As fases da pré-história tradicionalmente dividem-se entre Paleolítico, Neolítico e Idade dos metais
Paleolítico (pedra lascada): fase do ser humano nômade, com divisão sexual do trabalho: homens caçando e mulheres coletando. Descoberta do fogo por volta de 500.000 a.C. exerce grande influência na formação dos seres humanos. A proteção e a melhora da alimentação servem como propulsor da expansão humana, além disso o maior consumo de carnes, agora cozidas, potencializou o desenvolvimento humano com o aumento das capacidades energéticas e do tamanho do cérebro
Neolítico (pedra polida): fase de melhor desenvolvimento tecnológico em comparação com a anterior. Instrumentos mais duráveis e eficientes. Nessa fase descobre-se a agricultura.
A agricultura foi uma descoberta marcadamente feminina, as mulheres por coletar tinham mais contato com as plantas. Fazendo uma comparação dos ciclos da natureza com os ciclos do corpo ela entendeu a dinâmica que envolve a plantação e produção de alimentos num único lugar. Nessa fase os homens começam a desenvolver a criação de animais em cativeiro visando o abate para a produção de carne e peles. Assim consolida-se a sedentarização.
Numa fase inicial o poder dentro dos clãs esteve com as mulheres. Por serem portadoras da vida os homens a enxergavam como se fossem sagradas, pois não compreendiam inicialmente a dinâmica da fecundação. Só depois, com a criação de animais os homens perceberam que eles tinham participação na formação da vida humana (ao separar os animais machos das fêmes eles perceberam que não nasciam filhotes)
Idade dos Metais: Início da metalurgia, principalmente em bronze. O uso de melhores ferramentas leva a produção de excedentes, que são comercializados por meio da troca entre os clãs.

 9 ano 3ºano

II Revolução industrial

O processo da segunda revolução industrial é marcado pelo grande uso de petróleo e energia elétrica, ampliação dos transportes (incluindo a popularização do automóvel) e das comunicações (com o rádio e telefone). Nesse processo as grandes nações capitalistas passam a buscar aumentar os mercados para alimentar a necessidade da indústria por novos mercados.
É preciso entender que nessa época os bancos passaram a ser donos de empresas de vários outros setores da economia. Um único grupo econômico liderado por um banco poderia ser dono de ferrovias, empresas automobilísticas ou alimentícias , extrair petróleo e minérios, etc. Isso concentrou o poder econômico em poucos grupos econômicos, esses grupos pressionavam os governos por novos mercados e por matérias primas baratas. Os governos, tentando manter-se no poder, e para isso necessitavam do financiamento dessa elite, passaram a promover invasões a países pobres, mas com matérias primas importantes, da África e Ásia. Esse processo deu-se o nome de Imperialismo.
As práticas imperialistas praticamente arrasaram com as riquezas naturais dos países colonizados e aumentaram os lucros das potências colonizadoras. Muito da miséria que hoje se vive na África e em partes da Ásia pode ser explicada como conseqüência da ação exploratória dos países europeus, entre outros fatores.
O esgotamento das colônias, aliado com as incessantes pressões das grandes multinacionais por novos mercados e matérias-primas mais baratas, fez crescer a rivalidade entre as grandes nações européias, especialmente entre Inglaterra e Alemanha. Some-se a isso questões históricas e raciais que estavam em jogo na época.
A guerra passa a ser vista como inevitável devido a enorme corrida armamentista promovida pelas nações européias. Formam-se dois grandes blocos militares: a Tríplice Aliança (Alemanha, Austria-Hungria, Itália) e a Tríplice Entente (Inglaterra, França e Rússia).
A guerra explode em 1914, com as grandes nações pensando que as batalhas seriam rápidas, mas se arrastam por longos 4 anos. Nesse tempo o equilíbrio da guerra faz o lucro dos EUA que comercializam armas, alimentos, roupas e etc. para os países da Entente. A saída da Rússia da guerra faz o estadunidenses entrarem na batalha para garantir o recebimento da dívida por parte de Ingleses e Franceses, caso a Alemanha vencesse a guerra os EUA entrariam em crise pois seus investimentos não seriam pagos.
A entrada dos EUA desequilibra a guerra. A Entente vence e a Alemanha é considerada culpada da guerra. Como punição sofre sanções e é forçada a assinar um tratado de paz humilhante que a obriga a indenizar e ceder territórios a Franceses e Ingleses.
Os EUA é quem saem vencedores da I Guerra Mundial, lucraram durante as batalhas e agora eram o único país com capacidade de bancar a reconstrução da Europa. Os lucros americanos nos anos seguintes são enormes, surge a maior potência mundial do século XX.

Revolução Russa

Em meio a I guerra acontece na Rússia a Revolução Bolchevique, eu implanta o primeiro governo socialista da história. Liderados por Lenin, o partido Bolchevique toma o poder em Outubro de 1917, tira a Rússia da guerra e começa a promover um regime que visava criar a primeira pátria socialista do mundo e onde os trabalhadores fossem os reais donos do poder. Os anos seguintes mostram que o sonho socialista vai se tornar numa ditadura implacável.

Nenhum comentário:

Postar um comentário